O algodão não engana

19 Abril, 2013

“Não temos obrigação de ganhar”. É esta a ideia chave que fica da conversa com o treinador Hugo Silva. Mas mesmo assim, o Sp. Espinho vai conquistar mais um Campeonato Nacional, acrescentamos nós. Esta convicção advém da percepção de que Hugo Silva apenas pretende sacudir os efeitos nefastos que um eventual favoritismo possa provocar nos atletas tigres. Daqui se afere que o treinador tigre já prepara a final e quer mesmo ganhar.

Tal e qual como o algodão, o brilho orgulhoso nos olhos de Hugo Silva não engana. Mesmo estando a secção a passar pelas maiores
dificuldades financeiras dos últimos tempos.

Já é um hábito disputar a grande final…
É um hábito para o Sp. Espinho, não para os tempos que correm. O clube nunca teve tantas dificuldades como actualmente e, mais uma vez, não partimos para esta competição como favoritos. Também por isso é sempre um feito desportivo, um marco chegar à final da forma que chegámos.

Mais uma presença que acarreta responsabilidade?
O Sp. Espinho é uma referência na modalidade, todos conhecem o seu curriculum desportivo e o seu historial, mas chegar desta maneira é sempre de assinalar.

Há uma diferença de potencial entre este grupo e o da época transacta?
Há, na verdade uma grande diferença do plantel da época passada para este grupo. No ano passado, classifico o plantel como um plantel de qualidade que acabou por despoletar e gerar resultados. Esta época, classifico o grupo como trabalhador, como conjunto empenhado e dedicado.

Entrevista completa na edição em papel do jornal Maré Viva de 17 de abril de 2013.




O seu endereço de email não será publicado.

*

Não são permitidas tags HTML.